O caminho para o Self

self

 

O caminho para o Self

O caminho para o próprio Ser, que o Homem iniciou a trilhar, assemelha-se a um retorno a sua Casa. Corresponde a virada da Roda da Vida e não mais poderá ser tornado sem efeito. É um processo muito lento, conduz através de situações estranhas, é rico em aventuras prodigiosas, mas também rico em obstáculos e perigos.

Essa evolução espiritual do Homem requer uma profunda sublimação e a total metamorfose, o despertar de alguns talentos até então não exercitados, a ascensão da consciência para estágios de profundezas até então não atingíveis, uma completa mudança das motivações da vida. O homem atingido por essas forças mutatórias já não mais poderá ocupar-se exclusivamente com a satisfação e a conservação da vida física. Por fim, o último motivo que resulta dessa sublimação é o Serviço desapegado em prol da Humanidade.

Nesse contexto, devemos lembrar que o nascimento do verdadeiro Ser interior sempre estará ligado ao abandono de tudo já formado, de todas as aparentes garantias, como o abandono de sistemas de raciocínio padronizados, encalhados. Isso significa para o pequeno Eu que se apega à posse e ao que já foi formado e conhecido. Uma impertinência e uma exigência fora de medida. Não é de se espantar, portanto, que mudanças de tal forma radicais devem conduzir o Homem através de vários estágios críticos. Pode resultar numa completa reviravolta de todos os valores estabelecidos, trazendo a perda de todas as garantias. O Homem está suspenso entre o Céu e a Terra, pode ocorrer a perda total da função da realidade, um estado de despersonalização, a falta absoluta da motivação e a letargia, como pode ser observada, muitas vezes na juventude.

Desencadeia-se, também, uma crise moral e ética, pela qual o ser humano não mais consegue distinguir o bem e o mal, ele se perde no que é relativo e não mais encontra apoio em parâmetros absolutos. O que antes lhe parecia bom, doravante será tido como mal. O Homem começa a viver além do bem e do mal. Tudo isso é um período muito difícil, esotericamente denominado “A noite escura da Alma”. Um velho estado de coisas se foi e o novo ainda não existe. Devagar o Ser interior vai amadurecendo. Como foi visto, isto é um processo longo e complexo, composto de fases de ativa purificação para eliminação de obstáculos, que se interpõem à afluência e à eficácia das forças espirituais, de fases de desenvolvimento de aptidões interiores, que se mantinham ocultas e debilitadas, de fases, dentro das quais a personalidade deve se manter quieta e dócil, para ser trabalhada pelo Espírito, enquanto sofre com coragem e paciência as provocações inevitáveis. É um período cheio de alterações, na qual a Luz e a Escuridão, a Alegria e a Dor se revezam.

A um determinado tempo após o despertar espiritual, em geral, ocorrem os reveses, pois os padrões de comportamento arraigados agem como um mecanismo autônomo, fazendo com que o ser humano sofra uma recaída para os velhos esquemas. Há de empenhar-se sempre de novo, para que as mudanças conseguidas possam se estabilizar. Nisso, muitas vezes, aparece o efeito “lupa”, que deixa tudo o que há de indesejável aparecer em dimensões gigantescas, o homem aí julga jamais ter condição de qualquer progresso.

Levanta-se aí, a pergunta, como isso tudo se encaixa na Astrologia? A maneira de aborda-se o assunto da evolução espiritual e as crises psicológicas a ela atreladas poderiam ser chamada de “AstroPsicologiaEsotérica”.

Agricultura Celeste empenha-se em interligar a Astrologia à Psicologia. A partir do estado de [r]evolução, tentamos dar uma explicação para situações de conflito, para que se possa ver que elas, nem sempre são distúrbios psíquicos no sentido comum. Mas processos indispensáveis para o seu desenvolvimento.

“O espírito manifesta-se ao guerreiro a cada momento. Entretanto, essa não é a verdade total.A verdade total é que o espírito revela-se para todos com a mesma intensidade e consistência, mas só os guerreiros estão sintonizados, de maneira consistente, com tais revelações.”

Comentários

Coentários