Lua Vazia ou Lua fora de Curso.

lua vazia dia 5 de outubro

 

Hoje tivemos no céu: Sol em quadratura com Plutão, Mercúrio fazendo sêxtil com Saturno, Marte em oposição com Netuno , enquanto a Lua faz trígono com Quíron e fica vazia durante o dia todo…

Ultimamente tenho intercalado dois momentos: durante um período, escrevo os trânsitos do dia através do momento do céu, utilizando os posicionamentos astrológicos e a intuição, e também deixo de escrever por um período, para poder sentir e observar os trânsitos e seus desdobramentos para depois fazer e tecer minhas  percepções.

Dia 10 de Outubro, falarei de como foram as minhas experiências e observações do famoso trânsito de Mercúrio Retrógrado, mas hoje vamos falar sobre o fenômeno da Lua Vazia, ou Lua fora de Curso, já que ao longo do dia inteiro a mesma esteve “ausente”, e por aqui são 21h40… (momento em que o texto fora escrito)

Para alguns astrólogos clássicos, tal movimento lunar não causa nenhum efeito, sendo insignificante, inclusive é citado a Astrologia Helenística como fonte de seus argumentos.  Outros astrólogos, porém,  dão uma atenção especial a esse momento, pois entendem a Lua como luminar mais próximo da Terra. Por não receber nenhum aspecto planetário, esse fenômeno causa sutis mudanças no nosso dia a dia. A Lua fora de Curso acontece na transição de um signo para outro, podendo durar alguns instantes ou o dia todo.

E como será que a Agricultura Celeste vê esse fenômeno?

Após dois anos de atentas observações, percebi que os dias de Lua Vazia são momentos diferenciados. Afirmo então que enquanto a Lua estiver fora de curso, o ideal seria a mutação da nossa frequência mental.

Precisamos compreender que vivemos sob égide do “Calendário Gregoriano”, um calendário totalmente antinatural ao nosso ritmo biológico. Insisto em dizer que somos seres lunares, homens e, principalmente, mulheres são extremamente afetados pela influência da Lua. Isso explica o fato de algumas pessoas ficarem decepcionadas ao lerem as descrições dos seus signos solares. Não se reconhecem, nem se identificam. Mas é claro!! Somos seres emocionais. Somos seres da Lua. Oscilamos de um lado para o outro.

Nosso calendário altera radicalmente nosso bioritmo. Há tempos grandes pensadores como Fernando Pessoa já questionavam essa dura realidade: Nosso tempo é um tempo capetali$ta, que está preso à dinâmica do mercado e não de acordo com balanço das estrelas. O ideal seria vivermos num calendário com 28 dias e 13 meses, sincronizado com a Lua. Nossa sociedade patriarcal criou um terrível desequilíbrio em todas as funções vitais da nossa vida. É nosso dever como humanidade, resgatar nossa ancestralidade ,  costumes mais naturais, baseados na lei e no ritmo da natureza, trazendo de volta nossa  ligação com o  grande universo.

Cada fase da Lua (Cheia, Minguante, Nova ou Crescente) altera radicalmente a nossa realidade, pela sua forte influência energética. Por que então seria diferente quando ela está Vazia?!

Infelizmente, a maioria das pessoas vive em atividades e poucas são as que podem desfrutar da possibilidade de viver em ação. As pessoas que vivem em atividades estão numa correria frenética tão absurda, que nem percebem o quanto estão ligadas no piloto automático. Elas precisam estar (pre)ocupadas para não se depararem com o burburinho de seu diálogo interno e isso pode ser aliviado com tudo: comida, sexo, drogas, afazeres domésticos a profissionais – desde públicos a caseiros, autônomos a criativos – o intuito é estar ocupado. Estar em atividade é agir sem refletir. Sem presença. Enquanto estar em ação, é estar presente no aqui e agora, completamente inteiro no momento, seja ele qual for: de um simples ato de lavar louça à complexa criação de uma obra de Rodin.

Àqueles que têm a oportunidade de viver em ação, terão mais facilidades de perceber as sutilezas da vida, como a mudança no clima de uma estação do ano para outra ou sentir as energias que pulsam num crepúsculo. Assim, saberão talvez, interpretar os pequenos sinais da natureza e sentirão perceber quando chegou o momento de uma transformação devido a  mudança de um específico trânsito astrológico. Saberão simplesmente interpretar uma poesia, enquanto aqueles que estão presos em suas atividades não terão sensibilidade de sentir tais sutilezas nas flutuações da vida. Os segredos do universo podem se desvelar em suas faces, mas não terão olhos para ver e nem ouvidos para ouvir. Interpretar a vida requer mais do que técnica, exige amor e atenção.

De uma maneira prática, como a Lua fora de Curso nos afeta?!

Ao vivermos numa Matrix baseada no progre$$o positivista, onde o homem é visto como mais uma engrenagem de um mundo determinista e mecanizado, contemplar uma Lua Vazia fica realmente complicado. O período de Lua Vazia é ideal para a reflexão, meditação, aceitação, recapitulação, oração, criação. Observe quanta ação a se fazer num momento que é dito para se fazer nada!

Raras são as pessoas que compreenderam a magia do “não-fazer”. Alguns “mestres” já falaram disso, muito melhor do que eu poderia descrever. O universo nos ensina que é preciso “repouso” e a Lua Vazia seria esse momento. Não adianta forçar, não adianta exigir, somos seres egoicos e queremos que as coisas aconteçam à nossa maneira. E sabemos que não é bem assim que o “trem” funciona. O universo tem um ritmo: “Há uma magia natural fluindo no ar, se você ouve atentamente vai se ligar” já cantava um doidão. É isso mesmo, durante a Lua Vazia você vai querer “chapar”, seja com substâncias legais ou ilegais.

Logo, algumas pessoas tendem à irritação, ansiedade, agitação e até mesmo a terem atitudes agressivas. Imagina: a Lua está Vazia, você querendo relaxar e seu chefe te cobrando metas? Vai dar problemas.  Você louco para chegar em casa e tomar aquela ducha e o trânsito todo engarrafado? Vai dar dor de cabeça. Você tendo prazos para honrar e sua conexão de internet fica lenta? O que fazer? E aquela sensação de que nada faz sentido? Como proceder? Uma preguiça danada e uma vontade de gozar, mas hoje é segunda feira e eu tenho que trabalhar!!!

Joga tudo para o alto e desiste ou respira e pratica a arte da transmutação?!

A Mente (tão bem como os metais e os elementos) pode ser transmutada de estado em estado, de grau em grau, de condição em condição, de pólo em pólo, de vibração em vibração. A verdadeira transmutação hermética é uma Arte Mental.” O Caibalion

“A palavra transmutar significa mudar de natureza, forma ou substância; transformar” Webster.

Transmutação Mental é a arte de transformar e de mudar os estados, as formas e as condições mentais. Simplificando: se você está triste, tente modificar sua disposição mental para estar alegre.

Sendo assim, tocamos em outra importante Lei do Caibalion:

“Tudo tem pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são o mesmo. Os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados.”

Ao estar mais consciente e mais atento a si, ao seu corpo e seus pensamentos; ao observar e sentir a sua realidade e os pequenos detalhes ao seu redor, quanto mais compreender as condições do mapa, melhor navegará sobre o território.

Agricultura Celeste sugere que se dê uma atenção especial aos momentos de Lua Vazia, o que indica que para um maior planejamento e autocontrole emocional é fundamental ter uma noção dos períodos em que a Lua estará Fora de Curso. Mas se atente para ir sempre contra a paranoia do medo e cultive o desejo de viver e experimentar as diferentes situações da vida. Sinta, observe e absorva.

É bom estar preparado para qualquer imprevisto, e com isso sempre buscar soluções alternativas e criativas. Quem sabe nesse momento uma brecha temporal se abra na espiral do infinito e você possa viver algo diferente e inusitado? Quebrar a rotina e ter uma experiência totalmente nova? Pode ser que surja um insight criativo…  Por que não realizar aquela fantasia secreta? Que tal buscar uma espiritualidade para amenizar a pressão da babilônia?! Esteja em vigília.

O momento de Lua Vazia é ideal para mergulhar no mundo subjetivo, embarcar no invisível. Se seu cotidiano te permitirá tal conexão com o universo ou não, só dependerá da sua vontade. Terás que ter sabedoria e flexibilidade para alternar “entre mundos”. O Xamanismo afirma que o mundo é uno e ao mesmo duplo: entre o tonal e o nagual. O tonal representa tudo aquilo que captamos e percebemos diariamente, o mundo ordinário. O nagual é aquilo que existe, mas raramente conseguimos perceber, é o mundo não ordinário ou extraordinário, o reino do desconhecido. O mundo dos sonhos. O nagual não pode ser percebido racionalmente pois representa a sensação que vai além da razão, tornando irrelevante qualquer tipo de questionamento.  Se esta afirmação é válida ou não, vai depender da sua intuição.

Por isso, estar somente em atividades, (pre)ocupado, com o corpo tenso e preso às rotinas mantém o homem restrito à primeira atenção, ao mundo do tonal. Enquanto isso, práticas e ações que visem o relaxamento e a catarse – como posturas de yoga, lutas, exercícios respiratórios, drogas,  sexo, privação sensorial e meditações –  levam o homem a atingir a segunda atenção, ou seja, ter acesso ao mundo do nagual, o mundo do invisível.

Aproveite o momento de Lua Vazia para estudar magia e os segredos da astrologia.

: :

Comentários

Coentários