02-08-2015: “Em última análise, precisamos amar para não adoecer.”

02-08-2015

Hoje no céu, Lua em conjunção com Netuno, fazendo sêxtil com Plutão. Vênus continua em quadratura com Saturno até 7 de Agosto:

“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não quero uma verdade inventada.”

Domingo, dia do Astro Rei, que amanhece ensolarado traz aquela pergunta que não se cala: cadê o amor?

A existência da humanidade é recheada de histórias de guerra e amor.

Dos clássicos de Romeu e Julieta, a guerra de Tróia por causa de Helena, ao sacrifício de Jesus em amor por toda humanidade: Será que ele tinha um “caso” com Maria Madalena?!

O amor sempre será o tema principal da existência. Sem ele a vida perde o sabor, que muitas das vezes é doce, e em outras ele é amargo, mas é essencial para evolução da espécie.

Ele, o amor, também é uma construção social, que vai se transformando e se adaptando com a marcha do tempo.

Ou seja, não existe uma regra, somente o sentimento. Mesmo que a sociedade queira classificá-lo de diferentes formas, seja ele monogâmico, poligâmico, hetero, homo, ou defini-lo com palavras e etapas: namoro, noivado, casamento,  o que realmente importa é o que se sente ao estar do lado de quem se ama: Tem sintonia? Tem conexão? Tem carinho? Tem tesão?

Mestres, filósofos, místicos, profetas, todos deram suas dicas e pistas de como agir perante o amor. Mas será que essas fórmulas mágicas realmente funcionam?

Uns dizem que é a era do desapego, outros do amor livre, e você: o que sente?!

Não existe teoria para o amor. Não foi criado até hoje uma escola que te ensine a amar. Você só vai compreender o significado dele, experimentando, sofrendo, errando e acertando. Os riscos são enormes, dá um frio na barriga, um medo de sofrer de novo. Já houve tanta decepção, desilusão, traição… E agora? Tentar de novo?

Todo encontro, ou até mesmo reencontro é uma oportunidade de se chegar mais perto do amor. Não há nenhuma garantia de sucesso, nem está fadado ao fracasso, você só vai compreender vivendo.

E talvez ainda não encontre as respostas suficientes, pois o ser ao seu lado será um eterno mistério. Pois dentro de cada um existe uma dualidade entre o corpo e alma. Entre o desejo e a vontade. A mente nunca está satisfeita. O outro tem tantos defeitos, afinal, ele também é humano, assim como você.

Vasculhe seus sentimentos mais profundos. Fique atento aos seus sonhos. Sinta mais as suas emoções. Veja como a razão te sabota. Aprenda a perdoar: todo mundo é parecido quando sente dor e que atire a primeira pedra, quem nunca errou!

: :

Comentários

Coentários